sexta-feira, 30 de novembro de 2007

.

É Quando as cortinas se fecham
Sou tomada por um leve torpor
Do qual não desperto
Minha alma entrego
Por uma simples dose de amor

Sou como fragmentos de um ectoplasma
Que qualquer luz corrói
Sou sem feições um rosto
e perdi para ti o meu posto
De um amante que corações destrói

És em segredo um porto seguro
Bo qual irei me arriscar
Sinto em ti o gosto
Que me leva ao desgosto
De não poder te amar.


______//________
Essa saiu durante uma aula de história!
Siiim eu estudo...^_^

Good kisses!

1 comentários:

Liih Castro disse...

Maaaaaaaaaaaah

Linda a poesia, adoreii !

Postei coisinhas novas lá no blog, consegui, finalmente escrever algo !

=p

beeJO bunita