domingo, 16 de dezembro de 2007

Hã?

Onde estás minha motivação?
Por que logo Tu a escondes de mim?
Por que dar a mim esse triste fim?

Amado frustradamente como um ser humano
Jogado às traças sanguinariamente como um animal
Sem escrúpulos, sem pudor nem dor, como "o tal"

Invisível à humanidade
Insensível à claridade
Desistindo à felicidade
Encontrando a obscuridade
Familiarizando-se com a morte
Abandonado à sua sorte
Quando a própria não existe
A não ser por um triste
FIM...