sexta-feira, 26 de junho de 2009

Heartache.

"Você não deve me fazer sofrer, só pra provar que eu não sou de nada.
Mas se quizer eu deixo, porque mereço..."

Tá, pode parecer meio broxante, mas é uma música e eu achei um tanto quanto engraçada.
ahoieuhaduihe.
Tô numa fase eclética que pode me levar à sérios disturbios mentais, que por sinal, não vem ao caso no momento presente.
Bem, as férias chegaram... Aquele período bom da tua vida, na qual você reflete, reflete, reflete e cansa de refletir.
No meu caso vai ser...Dormir, dormir, dormir. Pelo menos algo bom para se fazer, talvez algo bom ou melancólico surja para se pensar, pensar e pensar.
"Um toque de sonhar sozinho, te leva à qualquer direção".(Luis Melodia) Não, não me levam a qualquer direção. Os sonhos, por mais diferentes que se iniciem vão todos parar no mesmo "lugar-comum", nele mesmo.
"As ilusões, fartas."(Luis Melodia) Não as minhas. Estão apenas à flor da pele, se regozijando com o pouco que o mundo lhes oferece.
"Quem vai dizer ao coração que a paixão não é loucura?"(Oswaldo Montenegro). Ninguém. Ninguém ou nada irá dizer, elas são uma só aqui. Duas vozes que ecoam ao mesmo tempo e não me tornam responsável por mim, por mais ciente que eu esteja ou pareça estar.
"Sometimes, I get so tense, 'cause I can't speed up the time." Talvez. Dessa vez não veja como sim. Só como um talvez. Assim como o tempo é o senhor da razão... é o inimigo da loucura. Da minha loucura.
Talvez eu só seja isso mesmo.

:)

sábado, 20 de junho de 2009

Mais descobertas...

Eu descobri que o mundo não para de girar,
e que nós nunca sairemos do lugar enquanto o conformismo perdurar.
Descobri que é preciso crescer,
As barreiras quebrar, vencer,
A fim de simplesmente ser...
Ser, estar, permanecer, ficar, continuar...
Nunca parar, mesmo que quando no fim a evolução não pareceu chegar.
É como querer uma coisa,
conseguir outra e... depois descobrir que aquilo que consegui me realiza mais do que algo que eu tanto quis.
É preciso continuar.
E mais. Eu descobri que é preciso amar.
Amar a cor, a música, a voz. Amar o silêncio, o barulho. Amar o amigo, o ciúme e o inimigo.
Amar a dor, o amor, amar a fim de simplesmente amar.
Sem compromisso, sem cobrança. Apenas você e o seu dom de amar e desabar...
Desabar em lágrimas, em letras, em canto.


Agora "o mundo inteiro é meu" e só você pode me ouvir.

domingo, 14 de junho de 2009

'cause I need to move...



Se eu estive dormindo, saiba que eu acordei um pouco mais leve. Talvez menos paradoxal, mas ainda sou adepta de tal figura de linguagem (de pensamento pra mim).
Sabe quando você resolve tentar pensar em nada e você descobre o quão impossível isso é?
FA-TO. É impossível pensar em nada, seja por conta dos nematelmintos, pelos "capitães da areia" do companheiro Jorge Amado, pelos Parameciuns e cachecóis, pelo frio, exercícios, vontade de comer, vontade de emagrecer...Enfim, quando não é uma coisa, é outra! Até um aterramente dos próprios pés no barro eu fiz...Porque...sabe como é né? A Física me persegue....
Enfim, eu andei pensando no quando a minha criticidade anda em baixa nestes últimos momentos, no quando eu dei vazão à outros pensamentos e esqueci o ser humano crítico que há em mim.
Não é indiferença... é individualismo excessivo, no qual eu me fecho e sofro sozinha, penso sozinha e esqueço sozinha.
Sentimentos fúteis, sentimentos verdadeiros, sentimentos que vivo agora para que eu possa criticar mais tarde como a dona da razão, Típico do meu Pseudo Realismo Romântico.
"Mal do século" precedido por "Aprendizado do Século" e terminando em um chá como "criancisse do século"...Típico...
Mas vamos ver isso direito...


"Desculpe estranho, eu voltei mais puro do céu."

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Tea & toast and honey...



"E o frio faz calor dentro de mim..."

E enfim você acorda e resolve mandar tudo para aquele lugar. :)
E, não, não pense em besteiras, o "aquele lugar" é o lugar de onde elas vieram. haha.
Você descobre que opiniões importam sim, fato, mas as suas convicções... por mais que você vá descobrir depois que não eram tão convictas, vão fazer você crescer muiito.
Eu resolvi testar os meus limites nesses últimos tempos, digo, talvez testar aquilo que está adormecido esperando para despertar. Não como um nirvana, algo brusco e devastador... mas algo sutil e cauteloso, onde cada parte de mim acorda aos poucos.
Resolvi descobrir até aonde as borboletas vão continuar no meu estômago, me dando aquela sensação maravilhosa de explosão sentimeltal e ansiedade. Espero que elas continuem por um bom tempo, parece que elas gostaram do meu metabolismo divertido.
Responder perguntas com outras perguntas nunca foi tão divertido. Não digo divertido ao ponto onde "rir de tudo é desespero"... Só ao ponto de rir para ser saudável, feliz, mas no meu caso...nada sutil (risos...fato).
Resolvi descobrir o sentido de músicas sem sentido, e eu realmente descobri...que elas podem não fazer sentido, provocar sentimentos...e podem simplesmente te fazer lembrar pelo simples fato de lembrar... Como é bom lembrar...
Resolvi por à teste os meu sentimentos egocêntricos, e ser simplesmente mais autoconfiante. Nada me pertence, apenas cativo e cultivo.
Resolvi enfim, aceitar a teoria do Playmobil : "Nada que possa acontecer irá me tirar esse soriso do rosto"
(um sorriso bobo, é cláro).
No more Doubts?