quarta-feira, 8 de julho de 2009

Maré vazante.



Não, eu não vou postar a música "maré vazante" aqui.
O propósito, na verdade, é outro.
É o de ser, viver essa tal maré vazante.
Eu, honestamente andei conversando comigo mesma (é, eu converso comigo mesma) e cheguei a conclusão de que represar, não vai remediar.
O fato é que viver as coisas inteiras, por completo... São sempre melhores, são mais verdadeiras!
Se quero amar, vou amar por completo para que não me reste tempo de odiar nada nem ninguém.
Não coloque panos quentes no teu sentimento e nem tente minimizar aquilo que sente, para que se for preciso sofrer depois, você aparente (apenas aparente) sofrer menos.
E se precisar sofrer...Vou sofrer por completo também, não sofrer demais à ponto de me tornar uma vítima, um mártir...
Mas amar, sofrer, rir, e chorar na medida certa para dizer que vivi. E que vivo muito bem, obrigada.
Não torne nada clichê. Apenas saiba que uma mesma palavra, pode significar tantas coisas, em tantos momentos...e em diversas intensidades. Portanto, não se reprima ao dizer e nem se martirize depois de dito, afinal de contas foi e é tudo real, aconteceu...Senão não seria fato.
Mas...o que é fato de verdade (sim, eu adoro a palavra fato...ela é forte e objetiva) é que no fim de tudo aquilo que denominamos...sentimentos, oscilações temperamentais, crises comportamentais, e mais alguns "ais" (literalmente)...Descobrimos que vai ser preciso viver.
Mas, poxa vida, que diabos é viver?
Viver meu caro... pode ser algo para mim, alguém para você ou nada para ninguém.
E, assim como tudo... Pode se tornar relativo. Mas não é. (ha-há!)
Viver é simplesmente agir. Atuar da sua melhor forma em um palco esférico-geóide azulado denominado Terra, onde assim como você...atuarão diversos outros seres. Alguns muito iguais, outros muito diferentes, E alguns outros , de tão mascarados se tornam indecifráveis... Pelo menos perante a ti que também é mais um ator.
Pois então, cabe apenas a mim, a ti...Protagonizar uma vida, a tua vida, a fim de simplesmente chegar a um ponto onde você ouve "CORTA!"(ou pseudo-fim) e dizer :"Até agora, uma coisa eu aprendi. Mais do que amar, sofrer...Aprendi a viver."

2 comentários:

Me, myself and I disse...

Conheci um mendigo na treze de maio, ele tinha um pé parecido dhoahdoahdoi
brincadeira, ele parece um pão, passou do tempo né, mas é um pão.
Nunca aprendemos a viver, pensamos que, mas os meandros da vida nos levam sem rumo o tempo todo a caminhos desconhecidos, puro blefe, dizer que estamos preparados ou ensinados ... poético né? É o amor doihaodihao

Miih :D disse...

Mari.....fico orgulhosa de ser sua amiga depois de ler seu blog.