quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Incondicional.

"Incondicional amor.
Incondicional se for um querer total,
um amor real...Incondicional."
(Pela voz de Marcus Menna.)


E... Já que eu ando comemorando tanto a volta de um tal senso crítico ou, simplesmente, o início de uma, quem sabe sanidade mental.... Que tal falarmos de amor de uma forma sã?
Mas...Será que existe uma forma de falarmos disso se não tomados pela insanidade?
Como falar de amor sem amar, sem querer?
Palpitações, saltitações e suor para você são sinônimos de estar são?
Ah, que coisa de gente desequilibrado! Digo isso, porque sempre me reconheci nessas palavras...Ou seja, me reconheço como desequilibrada em potencial! (pelo menos costumava ser assim).
Ultimamente estive pensando em amor. Em algo sólido, e não em palavras vazias ou palavras cheias de um sonho, apenas sonho.
A imagem que eu tenho é tão doce, tão sólida. Imagine, uns 20 (pra mais) anos do lado de uma mesma pessoa, histórias, filhos, casa cheia, uma mãozinha pequena te acordando durante à noite dizendo que não consegue dormir porque existe um monstro embaixo da cama...
É tanta coisa, é tudo tão longe... Tão idealizado.
É olhar para a pessoa, e sentir firmeza. Sentir que ela pulsa em você, e não para você.
Olhar nos olhos, e poder ver seus filhos, netos e uns fios brancos. Ver também algumas brigas, afinal de contas, nada é perfeito, mas para nos lapidarmos se faz necessário algum tipo de atrito.
É viver dia após dia e só adquirir mais a certeza de que nada poderia ter sido melhor e, que quando o fim da matéria chegasse, o amor perdurasse... Como há de ser.

"E ainda tenho a eternidade pra gente caminhar..."

1 comentários:

Felipe Santos disse...

Amor. Algo que não se deve ser questionado, nem idealizado, apenas sentido. Algo tão fácil e ao mesmo tempo tão complicado. Uma coisa é certa, é dificil sentir quando não se sabe o que sentir...

Amemos, e façamos "da lágrima o sangue que nos deixa de pé"

TE amo Muito garota.



Kisses And Hugs.