quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Lua e Flor

"Eu amava como amava um pescador
Que se encanta mais com o peixe do que com o mar.
Eu amava como jamais poderia, se soubesse, como te contar."

E no fim das contas eu só quero descobrir a verdade.
Só quero saber que diabos é tudo isso que acontece dentro de mim.
A minha única certeza agora, é de que não é, e nunca foi, nada do que eu imaginei, nada do que eu pude descrever ou tentar explicar.
Não que seja inexplicável, de tão intenso.
Talvez seja muito explicável, talvez até corriqueiro. Porém, me faltam as palavras, me falta o discernimento adequado para expô-las.
E no fim das contas eu só sei que é mais uma fase.
Só quero saber em que momento perdi minha sanidade e passei a me contradizer;
Passei a sorrir e aceitar coisas que eu anteriormente eu criticaria.
Passei a engolir seco situações, talvez para agradar, talvez para acreditar na "perfeição do momento".
Passei a me enganar, tentando talvez acreditar, que as coisas aconteceriam não como deveriam acontecer, mas como eu julgava que elas ficariam melhores.
Passei a me enganar, me enganar, e de tanto me enganar, acreditei, caí...
Levantei.

0 comentários: