domingo, 29 de novembro de 2009

Se apegue a esse dia.

- "Mas, eu não estou chorando de tristeza..."
- "Não?"
- "Eu tô chorando é de felicdade, porque eu te amo, e que eu quero ficar contigo pra sempre. Ou até eu aguentar, você aguentar."
- "Então...Isso é pra sempre."

Então a garota se apegou a este momento, este dia.
Bem como se apegou a outros momentos passados, que auxiliaram na contrução deste.
Bem como se apegará aos inúmeros infinitos momentos, que ainda estão por vir.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

From this moment on.

From this moment life has begun
From this moment you are the one
Right beside you is where I belong
From this moment on.

From this moment I have been blessed
I live only for your happiness
And for your love I´d give my last breath
From this moment on.

I give my hand to you with all my heart
Can´t wait to live my life with you, can´t wait to start!
You and I will never be apart
My dreams came true because of you.

From this moment as long as I live
I will love you, I promise you this.
There is nothing I wouldn´t give
From this moment on.


E conforme a garota lê, relê e canta essas palavras em forma de promessa pra si, pra ti...
Lágrimas escorrem
Sem querer, com querer.
Com fervor, de amor.
Ah, cumprirei com prazer.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Yesterday.

Somos seres humanos tão simples
Pensamos de maneira simples
Sentimos de maneira complexa
Sonhamos de maneira complexa.

É incrível a necessidade de transferir em palavras cada sensação processada pelos meus sentidos.
É incrível o fato de eu sempre fracassar, haja visto a amplitude dos mesmos.
Seja por escrita, seja por fala.
Meus dedos se atrofiam, minha voz se cala.
Dedos se atrofiam no limite das palavras conhecidas por eles.
A voz se cala embargada por emoção da sensação desconhecida do inexplicável.
Não adianta, sempre tentarei explicar. Sempre.
Por mais que você já saiba, já sinta.
Nunca me importarei de te lembrar. Nunca.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Tudo o que foi. Tudo o que será.

Comece pelos olhos.
Olhe, veja, repare. Sinta através dele toda a sensação que teu corpo te priva
(ou pelo menos privou).
Depois temos as mãos.
Afague-as, aperte-as, deseje-as e precise disso como se tua alma dependesse do simples toque da pele do ser tão almejado.
Que tal a respiração agora?
Mais perto, você pode sentir mais do que uma respiração atrapalhada, você sente fragmentos vitais sendo enviados para ti que parecem dizer: “Confie em mim, venha comigo, eu te amo.”
...
Agora comece pelo canto da boca.
Se sinta como um guerreiro cansado e se renda. Renda-se ao simples toque complexo de duas bocas sutis, que única e simplesmente se precisavam.
(e continuam se precisando, se buscando)
Depois avance lentamente.
Percorra teu lábio trêmulo por aquele outro como se tivesse medo e ao mesmo tempo necessidade do toque. Involuntariamente recue, retorne. Não desista, o melhor virá.
E quando o medo se esvair e a certeza se firmar...
Lábios se tornam firmes e certos. Faz sol, está quente.
Dentro de ti faz calor, faz amor, faz tudo ao mesmo tempo e, você parece calma.
Você está calma.
A tempestade se foi, o sol abriu.
Seu amor se aflorou e, toda a dor sumiu.

“Felicidade é um fim de tarde” sentindo o pôr-do-sol da ETECAP.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Dreams

"Que sensação se comunica a todo o meu ser quando por acaso meu dedo toca no seu, ou nossos pés se encontram embaixo da mesa! Retiro-os como se tivesse tocado o fogo, e uma força secreta impulsiona-me de novo. A vertigem arrebata os meus sentidos! ... E dizer que sua alma cândida não sabe o suplício que me infligem essas pequenas familiaridades! E quando, animados pela conversa, ela pousa sua mão sobre a minha e, mais arrebatados ainda pelas palavras, ela se aproxima tanto que eu chego a experimentar seu hálito celestial junto dos meus lábios."
Goethe.

Por um acaso esse homem pousou em meu corpo, leu minhas sensações e as transcreveu em palavras?
Oh God, Oh Goethe.
Oh my dear.

Notorious.


"...que até certo ponto...foi leal. Pena que as pessoas se contradizem com o próprio caráter. "

Palavras essas, ditas para mim pelo google. Quando escrevi meu nome no mesmo.
Será que se eu apagar essa postagem, alguém irá encontrá-la em "cache" no Google caso se lembre de alguma parte peculiar?
haha, engraçadão né? Tou rindo até agora.

A vida é um paradoxo.
Vivemos no "Hot n' Cold"... Portanto... Faça suas escolhas.
Sempre serão escolhas certas. As minhas sempre são, pelo menos para mim mesma.
Aprenda, mas não se arrependa.
Enjoy every fucking moment with a dumb fuckin' smile in you fucking face.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Louco.

"Tem um louco preso dentro de mim...
...E esse louco preso é meu coração,
Condenado a morrer por você.
Me salva, me livra, me ama. Seu amor me faz viver. "

Ah como a gente fica bobo quando fica desse jeito.
Estaria eu um pouco mais insana conforme meus dias, nossos dias se passam?
Me sinto dependente, cheia de você.
Cheia dos seus carinhos, do teu amor e do teu olhar.
Cheia de querer mais e mais.
Sem sequer, nunca, jamais...encher, cansar.
Que venham dias, meses e anos.
Teremos dias, meses e anos.
Que venha a vida, enfim.
Teremos vida. Amemo-nos.

Have a nice day

Finja.
Assim eu minto que acredito na minha insignificância pra você.
Até quando os seres humanos serão tão fortes de fachada?
Talvez até alguém o cutucar de leve no ombro e avisar :"Hey cara, tá forçado!"
Não peço que caia em profunda depressão, nem em tristeza e revolta precedida de uma transformação em "O incrível Hulk". Mas pediria, no mínimo, naturalidade.
Mas, em que posição estou eu, aqui, de pedir algo?
Primeiro, não mereço pedir nada.
Segundo, não mereço pedir nada de alguém que nunca teve algo como isso.
Somos todos seres humanos fortes demais para sermos naturais, certo?
Vamos lá, todo mundo junto! Continuem dizendo aquilo que bem entenderem, porém, nunca entenderão nada.
Um dia, de tão repetida essa realidade aparente, vai passar a ser verdade. Pelo menos para você e todo aqueles que sequer tiveram atrevimento de perguntar, de se importar de verdade...Se atarefando única e completamente de julgar.
Sequer possuem diploma de Direito...
Sequer vivem sua vida direito.
Pobres canhotos.



"Why I'm gonna tell you how I live my life?"

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

"Óbvio utópico VIII "

"Perdida em meu abraço
Com o rosto escondido em meu peito
Derramarás algumas lágrimas
Eu não poderei ver, pois estará escondida em mim
Mas também estará sorrindo, aliviada
Talvez emocionada
Absurdamente apaixonada
Me apertará mais forte
Até sentir meu coração disparar mais forte
e ficaremos assim unidos, até o amanhecer. "

Acho que agora só nos resta esperar o amanhecer. Bora?
:)

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Morte

Ah, ela é inevitável.
Talvez, mais do que a tristeza, é a certeza certa do ser.
É pra onde vamos, de onde viemos, o que no fim seremos.
Morte física, morte simbólica, morte sentimental.
Algumas mortes são nescessárias para deixar outras vidas florirem do modo certo. Se te matei, perdão. Apenas acredite que há uma vida a compensar-te.
Não me arrependo das vezes que morri.
Não me arrependo das vezes em que matei.
Levando em consideração minhas teorias de vida eterna, essa "pequena morte" viverá em algum lugar na erraticidade. Na minha erraticidade.

Mas, e quanto à vida? É só feita de morte?
Não.
É feita também de atos, de momentos, de vivências que se eternizam num certo espaço do ser vivo que jamais morrerá.
Por mais que isso possa lhe soar contraditório, pra mim é tão natural.
Discorde de mim. "Não é nada demais...." como alguém já disse ou cantarolou.
No momento eterno pelo qual me econtro vagueando vivendo, qualquer discórdia é normal e, pensar em alguma morte agora, é imoral, irreal.
Como dito, me encontro num estágio eterno de vida, então...
Deixemos as mortes para lá.

E agora para o seu moço lá:
Te prometo a tua vida aqui dentro. Eu apenas...
"Suplico que não me mate, dentro de ti."

sábado, 14 de novembro de 2009

There's a flame...

...That's burning in my heart."

E sempre existirão músicas.
Sempre existirão palavras que serão repetidas na tua vida.
Serão repeditas, mas nunca com o mesmo sentido. Nunca com a mesma intensidade
(ou insanidade).
Eu choro aqui minhas palavras cheias de um coração mais cheio ainda.
Eu procuro, da melhor forma escrever aquilo, isso, aqui de dentro...compreende?
Eu penso que, não...não penso.
Não, não procuro melhor forma de escrever o amor.
Não sei inovar o amor escrito. Apenas o sentido.
Eu amo você.
Diferente dos clichês, dos amores de novela e das hitórias dos melhores romances escritos.
Ah, se é amor (como eu bem sei que é, como dizem que é)...
Eu amo você.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ces nuits



Um casal de origamis insinuando uma miscigenação não é mera coincidência.
XD
Tá mais pra uma previsão de futuro, compreende?
Onde africanos se misturam com bolivianos e criam uns ranhentos maloqueiros que pulam da escada daquela casa que eu sonhei.
É engraçado deixar as metáforas ou deixar de esconder certos nomes ou frases do dia para a noite. (Onde se diz engraçado, lê-se maravilhoso)

Agora a garota pode abraçar, cheirar, beijar e gritar para os quatro ventos o que bem sente.
(sim, ela ama)
Pode chorar nos braços do amado,
deixar os dedos se procurarem, se misturarem,
sorrir, e receber aquele sorriso tão esperado de volta.
Ela pode enfim, agradecer.

Não peço que seja eterno enquanto dure.
Apenas que seja eterno, como será.
Como há de ser.

...E agora, você acredita no nosso "para sempre" ?
Eu sim.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

And now...

"Quando te vejo, coração bate apressado.
Quando te vejo, fico todo arrepiado.
Eu tenho planos pra nós dois,
Pra mim, nós dois já somos um e, ir pro futuro sem voce é alcançar lugar nenhum.
A gente pode ser feliz. Me diz que sim?!
Pegue teus sonhos, teu amor, e gruda em mim.
Nunca senti por mais ninguem, tanta saudade.
Eu logo vi que com voce tudo é verdade, tudo tem mais sabor, tudo tem mais razão.
Voce me faz feliz, você me faz sentir os pés no chão.
É só soltar o coração, conte até um e diz que sim!
Pegue teus sonhos, teu amor e gruda em mim."

E mais uma vez, as palavras de outrem se transformam numa luva de tamanho "m", a qual cabe perfeitamente na minha mão.
Nunca serão completamente o que sinto ou penso... O que sinto, o que amo e penso, são efetivamente inexplicáveis com o simples dom da palavra complexa.
Porém, trechos como este acima fazem total sentido e significância.
(não procurem o autor. heaoiuheaiuh :x)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Changes.

"If i had a chance for another try,
I wouldn't change a thing!
It's made me all who I am inside."

Angels and Airwaves - Rite of spring.


E então a garota deixou toda aquela multidão falando sozinha.
Eram palavras já conhecidas, nada de novidade para ela. Nada além do esperado.
Tão previsíveis... Tão incompreensíveis. Humanos, é cláro.
"Quem precisa de números?" Ela pensava.
"Para quem eu devia satisfações, explicações...em vão, é cláro. Eu as dei. (ou não, por enquanto)"
Foram explicações sentimentais tão bem dadas que, quem realmente via a garota por dentro pôde compreender. Não concordar, mas compreender. Talvez até concordar, como foi o caso de alguns.
Alguns poucos, é fato. Mas os necessários, somente.
E então a garota abraça longamente aqueles quais sorriem para ela. Sorriem e acenam, vendo muito mais do que uma atitude impulsiva e inconsequente em tudo aquilo.
Após tal ato reconfortante ela se vira, sorri um sorriso largo, espontâneo daqueles de quem se vê amando e, vai ao encontro do abraço daquele que a espera impacientemente, simplesmente por um sorriso.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A promessa

E agora, toda aquela espera
Que pareceu tão longa
Enfim, se encerra.
Agora, a espera é por mais.
Agora, eu quero a paz
do teu calor, dos teus olhos.
Os lábios proferirão,
beijarão, queimarão.
E sem se importar, se calarão
Num silêncio que não incomoda.
No silêncio que constrói.
Um silêncio só nosso.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Óbvio Provável:

Você para amar.
Teus braços, abraçar.
Poder enfim, gritar:
"Aonde quer que eu vá
levo você, no olhar".

Na verdade, de minha garganta sairá muito mais do que uma música cantarolada por uma voz a qual eu admiro. Sairá muito mais do que um voto de confiança.
Enfim, sairá o tão almejado amor.