quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

No more lonely nights

Abrir os olhos, e te ver mais do que no pensamento.
Você estará lá, deitado. Ressonando em sua aparência angelical com os olhos semicerrados como de costume, e respiração profunda.
Tirar a mesa, lavar os pratos e... ao virar o corredor... TCHARÃN. Ter uma tarde pra você, que vai estar num sofá nosso qualquer, a me esperar. Não ansiosamente. Mas cativo. Te cativei como me cativaste e cá estamos a rir das crianças de bocas sujas após o almoço "com molho" de Domingo.
Brincadeiras, uns puxões de orelha, talvez música ou filmes, até mesmo um cochilo da tarde.
Lua no céu.
Tomar banho e ao sentar na cama sentir uma mão suave a me puxar pela cintura.
Me perguntarei se aquilo realmente está a acontecer. Tanto tempo se passando e eu ainda perdida entre sonho e realidade, Ah, sempre a mesma menina apaixonada pelo garoto de sempre.

Não é só uma idealização. É premonição, compreende?
Prever você aqui, não utópicamente, pra sempre.


"Quem duvidaria que, seu amor em mim poderia perdurar?"

0 comentários: