terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Standing together

Ultimamente perfeição não tem parecido algo utópico.
A perfeição alheia, cláro.
Mais precisamente, a perfeição dele... entende?
Tá, eu sei que "ele" vai torcer o nariz quando ler essa parte mas, pra mim, no âmago do meu ser, do meu mundinho "ele" é todo assim, perfeito.
Dependência física e emocional são termos os quais eu estou aprendendo o significado na prática e, quer saber? Não são fáceis.
Especialmente quando não se quer prender, não se quer afagar e afogar, quando se tem medo de dar demais ou não corresponder as espectativas.
Mas, quer saber também? Esse foi mais um detalhe o qual ficou esclarecido.
As promessas de um "pra sempre", por mais que seja difícil uma eternidade me aguentando, já não é utopia, é um fato. Um fato gostoso, confortável e ansioso.
Ansioso, visto que te dormir e te acordar são coisas bem confortáveis e gostosas.
São sensações indescritíveis e tão "complexamente boas" quanto o tal do amor que eu sempre venho tentando explicar.
Agora, nesses dias, naqueles dias, eu só quero o som daquela voz, o afago naquele pescoço, contrair aquele corpo todo contra o meu num abraço-laço, e ouvir e dizer coisas como: "Vamos tirar essa aqui só quando colocarmos aquela outra no dedo da outra mão."
ou "pra sempre é suficiente pra você?" (talvez só por autoafirmação. XD)
Definitivamente..."meus dias são feitos de você".

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Perdi as chaves

"Diga a verdade ao menos uma vez na vida
Você se apaixonou pelos meus erros
Não fique pela metade, vá em frente, minha amiga (o)
Destrua a razão desse beco sem saída.
Diga a verdade, ponha o dedo na ferida
Você se apaixonou pelos meus erros.
E eu perdi as chaves... Mas que cabeça a minha!
Agora vai ter que ser para toda a vida!
Somos o que há de melhor,Somos o que dá pra fazer
O que não dá pra evitar e não se pode escolher.
Se eu tivesse a força que você pensa que eu tenho
Eu gravaria no metal da minha pele o teu desenho.
Feitos um pro outro, feitos pra durar
Uma luz que não produz sombra."

Sabe...essa música me lembra você.
o cheiro que eu sinto agora me lembra você.
Pra onde quer que eu olhe, eu me lembro de você, de nós.
Afinal de contas... "Somos o que há de melhor!" . Pelo menos aqui, cá entre nós... Somos o que bem queremos ser.
Eu fico imaginando aqui... A gente, naquele apartamentinho pequeno, suado e sonhado; essa música embalando uma das nossas melhores noites, que por sinal serão muitas. Haja visto que toda noite é uma melhor noite com você. ( vejo um sorrisinho pretuberante aí? XD)

E então ele disse :"E aí...Quer ficar presa a mim pro resto da sua vida?!".
...Acho que nem preciso dizer a resposta da garota tomada pela euforia.

A pena que a pena dá.

Sabe... Estive pensando, como sempre faço.
A tristeza e o melodrama é a certeza do homem pseudo-forte.
É também a sua fraqueza e franqueza disfarçada lá na pseudo-força.
Às vezes as pessoas dizem :"Ah, já superei!" ou "Hã? quem é essa pessoa mesmo?"
Mas...no fundo, você não passa um dia sequer sem remoer o fato passado malssofrido.
Seria esquecer ou "superar" declarar ao mundo inteiro o quão bem estamos? Pra mim isso tá mais pra um deslize do desespero.
Exigir desculpas ou explicações também nunca é um bom caminho, sabe?
Às vezes somos tão convictos de que os outros são errados... De que "cagaram" de uma forma na nossa vida com extrema leviandade e desdém que nos tornamos cegos.
Cegos pela própria convicção.
E eu estou cega pela minha convicção. "Não há erros no acerto."
E como disse a professora Fabi em uma primeira aula de um primeiro ano na ETECAP :"Não existe verdade absoluta".
Apenas acredito em "individualidades absolutas" , sabe? Não te julgo. Não te sofro.
Afinal de contas... O que é certo pra mim, de fato não é certo pra você.

Too late...nothing to apologize.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Sentimento que não "têm" nome.

A garota sorria.
Ele sorria pra ela também. Sorria com os lábios; com os olhos; com o coração que, estava inquieto na quietude do ambiente propício.
Ela se perguntava se, em virtude do silêncio ele ouviria seu coração batendo. Afinal de contas para ela parecia algo incrívelmente ensurdecedor (de maneira boa, acredite).
Então o silêncio foi interrompido por uma junta de palavras que foram tomando corpo e sentido aos poucos. As letras foram de desembaralhando e a garota se perguntava se realmente tudo estava acontecendo assim, de maneira tão feliz. Que bom que não eram vozes do além, e sim vozes do então ser amado, alí, tão desejável e puro.
E então veio um abraço, num laço quase perfeito. Só não foi "laço-perfeito" pela ausência dos nós.
Naqueles braços, aninhada, a garota era só certezas. É só certezas.
Havia um encaixe, um conforto, uma razão para existir. Uma razão pra tudo aquilo ter começado, junto com as borboletas estomacais...que nunca vão embora.
Ela dizia "sim". Ah, que manhã linda foi aquela.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Lista de Exercícios

Lista de exercícios que preciso praticar a fim de progredir.
1- Deixar meus medos, não vivendo em função do "se..."... e sim da certeza que habita em mim.

Tá, convenhamos que...se eu praticar só esse tópico, eu já consigo quase tudo o que eu quero.

2- Estudar.

É... estudar química, física, matemática, português e todas aquelas coisas que passei anos me prometendo estudar depois... E no fim nunca estudei. Agora eu preciso estudar de verdade...Senão, de nada vai me adiantar o tópico nº 1.

3- Ser boazinha com a irmã.

Na verdade, não é bem ser boazinha. Mas tentar ser humana com ela.
Hoje eu descobri que abraçá-la é difícil, que beijá-la no rosto é um trabalho árduo, e que demonstrar afeto é foda... porque eu cheguei a me questionar se havia tanto afeto assim (Hey Deus, me desculpe por essa...mas foi o que de fato aconteceu)

4 - Descobrir que nem todos pensam (e agem) como você. Mas podem amar você.
Só porque você pensa em uma pessoa 24 horas por dia, e a cada vez que olha no relógio quer ligar, ouvir a voz, saber como as coisas andam, falar melosidades... Não significa que deva fazer isso. E só porque o outro não faz, não significa que não te ame devidamente.
(falei isso pra mim, afinal de contas me sinto controladora e grudenta...Mãas...)

5- Não lembro. Ah, seguir os itens acima e pensar em mais itens (ou não).


Certamente o mundo não seria um lugar bacana pra se viver se fôssemos todos seres humanos comuns, normais e iguais.
E, sabe... Eu amo aquele rapaz por ele ser diferente de tudo o que eu já pude conhecer ou querer. Amo ele pelos erros (não sei quais, não me lembro de nada errado..só coloquei pra ficar bonito) e pelos acertos (aí a gente pode dizer que ele acertou quando me encontrou e blá blá blá, pra ficar bonito também).


"The impossible is possible tonight
Believe in me as I believe in you...Tonight"

domingo, 3 de janeiro de 2010

Um novo ano novo (?)

Carta de Ludwig Van Beethoven à sua Amada.

"Bom dia, em 7 de julho [de 1812]

Embora ainda esteja na cama, os meus pensamentos vão até você, minha Amada Imortal, agora felizes, depois tristes, esperando para saber se o destino nos ouvirá ou não. Eu só posso viver completo contigo ou não viver. Sim, estou decidido a vaguear assim por muito tempo longe de você até que possa voar para os seus braços e dizer que estou em casa, e poder enviar a minha alma envolta em você ao reino dos espíritos. Sim, isto deve ser tão infeliz. Você será mais contida quando souber da minha fidelidade à você. Outra jamais poderá ter o meu coração, nunca, nunca, Oh, Deus! Por que um precisa estar separado do outro quando se ama? E, no entanto, a minha vida em Viena é agora uma vida miserável. O teu amor me faz ao mesmo tempo o mais feliz e infeliz dos homens. Na minha idade eu preciso de estabilidade, de uma vida tranqüila. Pode ser assim na nossa relação? Meu anjo, acabo de ser informado que o carteiro sai todos os dias. Por isso devo terminar logo para que você possa receber a carta logo. Fique tranqüila, somente através da consideração tranqüila de nossa existência podemos atingir o objetivo de vivermos juntos. Fique tranqüila, me ame, hoje, ontem, desejos sofridos por você, você, você, minha vida, meu tudo, adeus. Oh, continue a me amar, jamais duvide do coração fiel de seu amado.
Sempre teu
Sempre minha
Sempre nosso."


É incrível como os meios de comunicação mudaram.
Como os meios de transporte mudaram.
Como as grandes navegações foram úteis e hoje, comumente, caem em esquecimento pelos "jovens".
Durante os séculos as coisas foram evoluindo, modificando e os avanços tecnológicos não cessam.
No entanto uma coisa parece continuar inegávelmente sendo explicitada de forma compreensível e total, que ultrapassa os séculos.
É engraçado ver que mesmo com o passar dos séculos esse amor continua o mesmo.
Sempre teu
Sempre meu
Sempre nosso.