terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Standing together

Ultimamente perfeição não tem parecido algo utópico.
A perfeição alheia, cláro.
Mais precisamente, a perfeição dele... entende?
Tá, eu sei que "ele" vai torcer o nariz quando ler essa parte mas, pra mim, no âmago do meu ser, do meu mundinho "ele" é todo assim, perfeito.
Dependência física e emocional são termos os quais eu estou aprendendo o significado na prática e, quer saber? Não são fáceis.
Especialmente quando não se quer prender, não se quer afagar e afogar, quando se tem medo de dar demais ou não corresponder as espectativas.
Mas, quer saber também? Esse foi mais um detalhe o qual ficou esclarecido.
As promessas de um "pra sempre", por mais que seja difícil uma eternidade me aguentando, já não é utopia, é um fato. Um fato gostoso, confortável e ansioso.
Ansioso, visto que te dormir e te acordar são coisas bem confortáveis e gostosas.
São sensações indescritíveis e tão "complexamente boas" quanto o tal do amor que eu sempre venho tentando explicar.
Agora, nesses dias, naqueles dias, eu só quero o som daquela voz, o afago naquele pescoço, contrair aquele corpo todo contra o meu num abraço-laço, e ouvir e dizer coisas como: "Vamos tirar essa aqui só quando colocarmos aquela outra no dedo da outra mão."
ou "pra sempre é suficiente pra você?" (talvez só por autoafirmação. XD)
Definitivamente..."meus dias são feitos de você".