segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Sing, Sang, Sung.

A garota continuava andando... Mas sentia que possuía olhos nas costas, pois sentia que ele fazia um sinal pro ônibus e, logo em seguida, entrou no mesmo e se foi.
Alí então ela se sentiu leve, perdida em meio aos poucos carros que passavam pela avenida e pessoas que conversavam ruidosamente. Só sabia que andava na ponta dos pés, distorcendo seu chinelo roxo.
E casa, e portão.
Tranca a porta, um meio sorriso.
Não, não se perturbaria agora. É preciso viver, é preciso arriscar e prosseguir.
E banho. E água fria.
Ela cantou, cantou, e cantou tanto que pôde ouvir sua mãe fazendo ruídos na sala comentando da canção, que agora não era nada parecida com uma música um tanto quanto divertida do Bryan Adams*. Cantou e cantou, deixando que todos os pensamentos possívelmente ruins fossem embora ralo à fora, tão frios quanto a água do chuveiro.


(*Right back where I started from - Bryan adams)

0 comentários: