segunda-feira, 8 de março de 2010

Stupid quicksand, stupid jungle!

Um dia, li algo parecido com... "Stupid people do stupid things!"
Talvez isso seja verdade.
Uma talvez verdade também seja o fato de que pessoas estúpidas não merecem posts em blog. Deixemos esse fato pra conversas particulares, risos particulares.
Sem contar que o meu horóscopo pede: "Haja de forma magnânima, sem mesquinharia!"
Então nada de adjetivos chulos como "biscate, puta, lazarenta, vagaba..."
Isso não me faria muito bem, num certo "dia da mulher".

Hoje a farra acaba, é hora de começar a estudar (cursinhooo ><).
Hoje é hora de começar a colocar todos os planos em prática. Nem todos, é claro...Só os mais fáceis que exigem uma certa persistência não tão fácil assim.
Pf..fique aqui um trecho pra se relaxar.

"Lara deitou no sofá, vestida, com o telefone ao lado. Sentia-se esgotada. E sabia que seria impossível dormir.
Mas dormiu.
Philip, em seu quarto, andava de um lado para outro, como um animal enjaulado. Estava furioso com Lara, furioso consigo mesmo. Não podia suportar a perspectiva de nunca mais tornar a vê-la, de nunca mais tê-la em seus braços. Malditas sejam todas as mulheres!, pensou ele. Bem que os pais haviam no advertido. Sua vida é a música. Se quer o melhor, não há espaço para mais nada. E, até conhecer Lara, ele acreditara nisso. Agora, no entanto, tudo mudara. Droga! Era maravilhoso o que nós tinhamos. Por que ela precisava destruir? Ele a amava, mas sabia que jamais poderia casar com ela.
Lara foi despertada pela campainha do telefone. Sentou no sofá, ainda tonta de sono, e olhou para o relógio na parede. Eram cinco horas da manhã. Sonolenta, ela atendeu.
-Howard?
Era a voz de Philip:
- Não gostaria de casar em Paris?"

0 comentários: