domingo, 28 de março de 2010

These days

Passo e passo. Árvores, brisa e sol.
Banco, formigas, mato cortante e brigadeiro.
Não dois amores! É brigadeiro com gosto de dedo indicador sem promessas. E um amor só.
E quando ela se virou, todo o amor estava lá, guardadinho, esperando uma tarde faz-sol-chove, ou qualquer outro momento oportuno para poder falar um "oi".
Anteriormente ela sempre queria mais. Queria beijos intermináveis, abraços inigualáveis, pois assim eles se tornariam memoráveis.
Mas agora... Ah, agora ela sabia que só um singelo momento, frações de segundo nos quais ela observava aquela respiração, tocava aquela mão há muito almejada, sentia o toque dos lábios... Por mais singelos e curtos que fossem aqueles momentos, eles se tornaram memoráveis e eternos na cabecinha e no coração daquela garota.
Engraçado. A vida ia se discorrendo, e em cada "fase" ela aprendia a valorizar coisas, momentos e palavras. Tudo tem a sua importância para cada pessoa. E agora ela sabia, ou pelo menos acreditava conhecer tudo aquilo que é importante para ela.
Ela sabe, que ainda há muito por vir, muitas realizações, sabe?
Mas naquele momento, e naquele quesito. Ela sabia a importância de tudo.
Ou melhor, a importância dele.


"She came looking for some shelter with a suitcase full of dreams."

0 comentários: