domingo, 25 de abril de 2010

Se há de partir? Sim, Sim.

"Amor é amor em sua essência. Não são palavras nem ações nem desesperos. Amor nasce amor e continua amor pela eternidade, por mais previsível e clichê que possa parecer.
Cuspa borboletas, sempre borboletas , e não larvas , e nem casulos, borboletas formadas... Pois você é o seu amor. E o amor que tens dentro de ti. "

Conversando com meu irmão, foi isso que obtive.
Sempre isso.
Assim como eu, ele é um eterno apaixonado, amante, observador, não mártir mas... Que amador.
Se errei ao amar. Errei ao nascer, pois nascer culmina em amar.
Amar o mundo difícil e trágico que é proposto pra você. Amar as pessoas, as dificuldades. Amar o erro e a superação. Amar bater com a porta na cara, amar cair de cabeça e estourar os miolos. Amar levantar, dar alguns pontos, fazer pequenos curativos e ver que continuamos vivos. E amando.
Feliz ou infelizmente, mas amando.

1 comentários:

Thábata Sanches disse...

Essa é a Mah que eu conheço e adoro.*_*