quarta-feira, 5 de maio de 2010

Scat touch

Porque ao invés de ouro, converto tudo o que toco em merda.
Ou não.

Hoje me lembrei que adoramos um amor inventado.
Será que, da mesma forma, amamos um sofrimento inventado?
Longe de ser uma pergunta capciosa.
Longe de ser uma pergunta que você espera que eu vá responder ao longo desse post.

5 comentários:

Rogerio Martins disse...

Fato!

Duu disse...

Sim é verdade que em muitas coisas que tocamos tranformamos em merda. Mas entre elas ainda existem algumas que viram ouro.
Algo que eu não posso dizer sobre a minha pessoa. Que por incrível que pareça só consegui transformar em merda.

Anônimo disse...

"[...]Converto tudo em merda"
Bela frase, se não fosse por sua hipocrisia.

Porque esquecer o passado é fácil quando quer martirizar-se. Esquecer a quantidade de pessoas que riram em sua companhia, esquecer o quanto sua companhia ja foi almejada. Ah! Paremos com essa estudidez de pretérito; sua companhia traz felicidade e bom humor pra muita gente ainda HOJE, então não seja hipócrita de escrever algo desse tipo. Muita coisa que toca se transforma em algo muito mais precioso que ouro, se não fores uma consumistazinha como tantos.

Amor inventado. Inventamos, vivemos e dps o esquecemos. Nem sequer lembramos o que foi sentido.
Você passa por isso? Se passa, devo te achar ridícula, certamente. Mas acho que você se enganou.

Lunder.

Thábata Sanches disse...

Depois dessa meu comentário é simplesmente desnecessário. =D

Mari disse...

Noffa. Que polêmica.