quarta-feira, 30 de junho de 2010

Incomplete

Eu estou perdida.
Tenho medo do mundo, medo das minhas escolhas.
Das escolhas que eu farei, sem saber agora quais são.
Eu só peço que as coisas possam dar uma "clareada", porque...Céus! nunca esteve tão difícil.
Difícil pra mim, que estou acostumada a chorar por tão pouco.

Quer saber de uma coisa? Um segredo?
Eu ainda sonho.
Sonho que sonha que tudo isso não passa de uma fase, uma brincadeira. Hora virá e eu vou acordar, correr praqueles braços, para os meus antigos ideais e viver daquele jeito que eu havia planejado.
Agora quer saber de outra coisa? Uma realidade?
Hoje eu vivo.

domingo, 27 de junho de 2010

Dear God,

"The only thing I ask of You, is to Hold Her, when I'm not around.
When I'm much too far away."
Talvez eu esteja "far away" demais.
Quem sabe um dia eu fique no "One step from paradise".
Por hora, eu me contento em ser uma "Woman in Chains", que aguarda o momento certo pra fazer algo direito. Algo direito esse, que ela nem sabe o que é...Só espera que um dia aconteça.
Hoje eu descobri que aquele ditado de que "quando a bebida entra, a verdade sai" é a mais pura verdade. É e ponto final.
Eu me assumo o monstro que sou.
Assumo meus desejos, minhas maldades, minhas indignações, e meus sentimentos que venho tentado reprimir ao longo desses meses...
Assumo sem medos nem anseios, assumo sem medo da repressão de quem irá me ouvir (Posto que não há reprensão, só apoio e um desabafo junto).
Descobri também que, nenhum sofrimento é eterno e que nunca sofro sozinha.
Pra quê sofrer com tamanha felicidade que me foi proporcionada? Eu só tenho a agradecer e seguir com esse sentimento agora transformado, burilado.
Se nos marcamos por algo, acredite, alguém também já se marcou por você, em você. Decerto, Ah marcou.
Não, não tome isso como arrogância ou prepotência. É a realidade.
Não vamos sair por aí menosprezando sentimentos únicos, vivências únicas.
Valorizemo-nas o máximo. Vivamo-nas o seu máximo.
Alguns sabem cultivá-la de modo que essa dura indefinidamente. Outros sabem vivê-la de forma que essa se esgota rapidamente. Não digo esgotar, é muito forte! Digo adormecer, entorpecer...Reconhecer de que muitas vezes só amar não é o suficiente. É preciso estar "pronto". É preciso ter vontade e consideração.
"Os opostos se distraem e os dispostos se atraem", não existe mentira nessa frase.

Chega de divagações, por hora.
Hoje eu quero aproveitar meu dia raro de sorrisos, e sorrir.
C:

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Someone who cares...

...About you.

Como tem tudo ficado muito louco ultimamente, e como todo o meu caminho vêm tentado criar pseudópodes de sair por aí, nas mais diversas loucuras...Vai existir aquele alguém que vai me segurar.
Viver é coisa simples mermão, tem complicação nenhuma. Como diz aquela música "A natureza é isso, sem medo nem dó, nem drama."
E quando eu insisto em me render ao meu longo "drama pessoal" (cause I'm a drama queen), ela vai lá, me segurar pelos cabelos e dar um tapa na minha cara, se preciso for, pra me fazer criar juízo, pé no chão. E, se não colar, chora comigo.
Quando eu te disse que sem mais, eu tenho vontade se sorrir... Em contrapartida às vezes me sinto próxima de um "givin' up", de um "basta" mesmo.
Você, melhor do que ninguém, conhece a minha montanha-russa de complicações e prazeres, e, mais do que ninguém, é intrínseca nela.
Você é o espírito irmão do meu, pedaço do meu músculo cardíaco, fluido necessário nas minhas funções fisiológicas. Você faz parte do meu cérebro e do meu coração, tendo a sabedoria ao falar e o respeito ao ouvir.
A nossa conexão não é de brincadeira, não é por acaso (posto que este não existe).
Nós sabemos porque estamos aqui, só não sabemos "com quem" ao certo estamos.
E aqui, ao final de palavras ensaiadas eu não te peço nenhuma promessa, eu não te faço promessa alguma. A nossa promessa já está no aqui e no agora, naquilo que a gente sabe que, há tempos, assumimos e aceitamo-nos como somos, como estamos.
Mas, deixemos as conclusões ao encargo do tempo e do silêncio.
Quem sabe nossas certezas e expectativas se confirmarão.


Dedicado à Thabata Sanches.
Iluminada, sim. Você sabe o quanto.
Ps: Eu terminar isso dizendo que te amo, é muito pouco.

domingo, 20 de junho de 2010

Beautiful Liar

"You want one more dance. Just one more chance."
Fazia um certo tempo que eu não me divertia bastante num final de semana.
Na verdade eu estive até me perguntando até em que ponto estou levando meu "futuro" à sério. Na verdade eu estou me perguntando que presente eu estou vivendo.
Mas acredite, vivendo eu estou. Ah, estou.
Um cú doce alí, um caderno lá, uma bebida doce em qualquer lugar e amigos pra se confiar e desconfiar. Whatever, perder-se não é mais novidade! Perder-se agora já virou um caminho, se tornou consequência.
E tudo agora se torna aprendizado. De alguma forma, seja bom ou não. Prazeroso, divertido, engraçado, ou silencioso...Tudo vai ser, de algum modo, aprendizado.
Convenhamos...Eu quero passar na droga do vestibular, e ao invés de escrever direito, de fazer redações decentes...eu fico aqui, numa perda de tempo que eu adoro. Como muitas outras coisas ruins que eu adoro.
São hábitos, são sonhos, são porcarias que me perseguem ou que eu persigo.
Que tipo de futura engenheira mal aplica as leis dos cossenos? Que tipo de futura "pessoa" reconhece todos os seus pontos fracos, e não faz merda nenhuma pra melhorar?
Welcome to my jungle, eu sou assim.
Defeitos à parte, bacaninha até.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Me deprima, me reprima.

Eu gostaria que, pelo menos uma vez na vida, a minha vontade fosse feita.
Nem que fosse pra eu me ferrar bastante depois. Assim eu veria com meus próprios olhos que meus desejos nem sempre são o "meu melhor".
Eu queria não ter dúvidas.
Eu queria não ter medo.
Eu queria um beijo.
Eu queria não me frustrar
E depois, eu quereria acordar.
Afinal de contas, isso tudo não passa de uma idealização de pessoa centrada, firme e autoconfiante, que eu nunca fui (muito, não muito).
O negócio é viver sem idealizações mesmo. De nada, de ninguém.
Aproveita a sua vez, dá o seu melhor. Ou pior.
Mas aproveita.
Sofre não, chora não.
Só aproveita.
O melhor ainda está por vir, eu ainda tenho muito assim, por fazer.

domingo, 13 de junho de 2010

Dia de quê?

Oi, ontem ganhei uma bicicleta.
Agora eu só preciso me lembrar de como se anda de bicicleta, Eu acho.
Ontem eu aprendi mais algumas coisas também.
Em primeiro lugar, dia dos namorados bebendo leite deve ser algo muito fantástico. Ano que vem eu faço isso.
Segundo, e muito importante : Não devo ingerir alimentos ricos em gorduras trans e saturadas e insaturadas e porcariosos Às 3 da manhã, quando falta menos de 3 horas pra você levantar para uma jornada de trabalho.
Terceiro: Não gorfe no carro do seu pai, é impróprio, nojento, e ele não fica feliz com essa situação.
Quarto: Não se chateie com naaaada, ainda mais se você estiver bêbado.
Quinto: Não tem quinto.
Sexto: Saiba arriscar, mas também saiba admitir que a sua "arriscadela" não funcionou.

Êba, vou andar de bibicleta.
(Que ânimo)

Ponto.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Expectations

Nem tudo é flores, fato.
Como eu já disse anteriormente, o campo florido da vida só existe pra quem tem força o suficiente pra plasmá-lo, e eu não costumava ter essa força.
Notem a diferença em uma semana. (anteriormente eu não tinha. hoje digo não costumava ter)
Confesso que apesar de nunca ter deixado transparecer, no fundo, eu sempre tive um pouco de "falsa modéstia". Nunca "aceitei" elogios abertamente, embora sempre soube do meu potencial nos quesitos quais eu era elogiada (tirando elogios quanto à parte física, isso é trivial, supérfluo e eu não sou grande coisa).
Sempre fui acostumada a "ter razão". Pelo menos, quase sempre e, mesmo que eu não estivesse certa, eu tinha a "miiinha opinião".
Mas, e agora, que eu me vejo sem opinião nenhuma? E agora, que eu me vejo em um oceano e, o "peixinho" agora sou eu? Pff...peixinho? tô mais insignificante que um camarão, e diria ruim como um camarão (não, eu não gosto de camarões).
Esses dias, chorei no meio de um atendimento. Não chorei pela falta de educação, indelicadeza, ou pelo esporro louco que eu tava tomando de um zé merda que eu nunca vi na vida e nem iria ver. Eu chorei foi de incompetência. Chorei por me ver limitada à regras, supervisões, monitorias, e condenada a um anonimato.
Mas, quer saber? Nem tudo é flores, poxa vida. Nunca foi.
Um dia de cada vez. Um degrau por vez.
Hoje aqui, amanhã lá.
É uma longa e árdua escalada até o topo, e o tempo vai me dar forças e sabedoria para chegar lá.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Rite of Spring

"If I had a chance for another try
I wouldn't change a thing!
It's made me all who I am inside."
Angels and Airwaves - Rite of Spring.


Sabe cara, hoje eu acordei. Acordei na moral mesmo.
Resolvi mandar tuuudo pra puqueparil e resolver fazer as coisas por impulso e bocão mesmo. Nada a perder, só a ganhar.
De manhã passei por uma experiência MEGA peculiar, que relatar aqui seria demasiadamente abusivo. O negócio é rir MUITO ta minha cara de tacho fazendo "pequenas entregas". (risos, muitos risos).
Hoje pela primeira vez, senti que atender telefonemas de pessoas desconhecidas que inicialmente ligam para te "chingar" é algo divertido, no mínimo, interessante.
Resolver problemas alheios sempre me proporcionou prazer. Criar maiores problemas pra mim mesma é só uma consequência do meu viver. Do meu respirar.

ps: E então, será que eu posso continuar com esse riso bobo na cara?

domingo, 6 de junho de 2010

O importante é o que importa

E o que não importa, pode ser importante?
Às vezes você pergunta algo, pra alguém... E te respondem: "Ah, isso não importa."
Mas pra você, é tão importante saber.
Então digo que sim. Talvez até o que não importa pode ser importante.
Ultimamente tenho tentado muito lutar contra maus pensamentos, contra tristezas desnecessárias, contra pessimismo e negativismo.
Mas só de estar aqui, escrevendo sobre eles... Sinto-me rendida. Sinto-me tola e fraca.
Eu gostaria de saber qual é o veredicto, qual é o nome da doença pra quem se sente assim. Foge do meu controle, foge da minha vontade de fugir.
É assim, de repente eu só quero dormir, comer muito ou não comer nada, chorar com programas ridículos de domingo. Ah, chorar...eu já nem sabia mais o que era isso. Me sinto voltando a não saber o que é ficar sem isso.
Mas, falemos de coisas boas. Sim, falemos assim, no plural. Reduz um pouco da culpa, reduz um pouco da responsabilidade de se falar no singular, só de si.
Hoje eu durmo assim, meio insegura, meio sorrindo com o canto esquerdo da boca, meio sem jeito de cuspir aquelas borboletas.
Amanhã eu acordo bem sim, sempre acordo melhor no dia seguinte.

"If I could, I'd only wanna make you smile..."

sábado, 5 de junho de 2010

A little bit of your taste

"É mais fácil voltar atrás no caminho, do que cavar uma nova estrada".
Eu ouvi essa frase essa semana. E dessa vez não foi aleatória. Ela foi direcionada à mim como forma de conselho.
Um conselho à uma determinada situação fútil do trabalho que, quem diria! Me faria refletir sobre tantos aspectos da minha vida.
De fato é mais fácil me redimir, voltar atrás em alguns momentos, em algumas idéias. Mas a palavra proferida, o ato marcado...Ah, esses nunca perderão a causa e efeito que tiveram. Pra serem lembrados num futuro, com risos, ou com pesares.
Aí eu me perguntei. E a diversão? E o risco? Onde eles se encaixam nesse contexto sem britadeiras, sem barulho nem concreto? A vida só é feita se você trilhar sua própria estrada! Nenhuma estrada está pronta pra você andar ou, pra sempre voltar.
Talvez você cave uma nova estrada, e volte naquele mesmo caminho...Porém sua bagagem será completamente diferente da que você possuía quando partiu dele. Você terá crescido, terá amadurecido, aprendido coisas, pisado por outros caminhos e carregado consigo a poeira benéfica deles.

Engraçado como eu consigo distorcer até mesmo um conselho...Algo simples, como voltar atrás...se torna complexo, como construção civil e ciência da terra.
Ah, um bom final de semana.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

She moves in her own way

"But I love her because she moves in her own way."

Dar o pitaco.
Tá aí uma coisa que todo ser humano tem prazer em fazer.
A nossa vida é uma novela na qual todo mundo quer meter o dedo.
"Se eu fosse você..." ou... "No seu lugar eu..."
ou ainda... "Você deveria..."
Deveria? Ah, pro inferno.
Cada um é cada um, e cada qual com suas limitações e vontades.
SE um dia eu achar que devo fazer alguma coisa, que será bom pra mim, que valerá à pena...Acredite, eu farei.
Tenho prioridades, oras bolas. Isso não inclui trabalhar feito uma condenada pra ficar "rica" aos dezoito anos, mas ter apenas concluído o ensino médio.
Me deixa estudar agora, e trabalhar de qualquer coisa. Depois eu dou um jeito, te garanto.

"Hora de tomar decisões."
Pois elas estão aí. Por hoje é isso. Quem sabe o que me espera amanhã.
Engraçado como o tempo me mostrou o quanto enobrece e diverte andar de montanha-russa na minha vida.