sábado, 24 de julho de 2010

...E não ter mais pressa



Porque o apressado come cru.
E eu gosto do bem passado.
Tenho passado muito bem, obrigada. Na verdade a "lei do desapego" parece boa quando você apenas vê vantagens em utilizá-la.
Apegar-se a quê? Quando você morrer, tudo vai embora.
Não se apegue nem a sentimentos. Apenas os viva, viva da forma mais intensa que puder, que souber. Faça jus ao nome que cada um deles levam. Amor, paixão, satisfação, alegria, compaixão... Todos os nomes de sentimentos os quais você lembrar que existem ou que você lembrar que já pôde sentir e transforme-os numa bagagem salutar e leve, de forma que você leve contigo o imaterial que te tornará cada dia melhor. Cada dia mais livre. Cada dia menos (des)humano e mais real.
A verdade é que eu só posso dizer isso hoje, porque pude sentir um pouco disso.
Sentir sem pedir, sem olhar pro depois.
Eu quero isso agora, esse agora.
"Hoje aqui, amanhã não se sabe."
Para estar...


Ps: Gérberas "representam a inocência, a sensibilidade, o charme e a pureza. São flores perfeitas para arranjos joviais e alegres". Será que foi mera coincidência?

0 comentários: