segunda-feira, 5 de julho de 2010

Lealdade

Talvez alguns se perguntem como eu pude me render à hipocrisia de escrever esta palavra no topo desse post. Eu não me importo. Ainda sei bem o significado disso tudo, sobretudo em relação às coisas com as quais me importo.
Hoje me perguntei como a "atualidade" tem visto esta questão do "ser fiel", afinal de contas fui surpreendida pela dimensão que alguns fatos pessoais foram tomando, e me envolvendo como espectadora. A atuação nesse ato, só dependia da minha vontade.
Vontade de quê? De agir inescrupulosamente por um bel-prazer que nunca sequer foi almejado? Tomar parte numa situação que eu mais repudio?
Sabe, eu já disse outrora, e volto a dizer.
Quando existe o amor, e neste existe por conseguinte a autosuficiência, o companheirismo... Você veria um motivo, um bom motivo para procurar na grama verde e gostosa do vizinho um conflito pra tua vida? Divertir-se não é pretexto.
Aproveitar o que a vida tem de melhor também não! Haja vista que não existe nada melhor do que um amor pleno bem vivido.
Se você pensa que sabe do que eu estou falando, de fato, você não sabe.
Poucos o sabem. São raros.
Aqueles ditos Homens, sem a "substantivação" masculina da palavra e sem a fraqueza que esta carrega.
Homens no sentido subumano. Homens, mulheres.
E não, simples humanos. Errôneos, paradoxais humanos.

0 comentários: