sexta-feira, 2 de julho de 2010

Tempos Modernos

"Eu vejo a vida melhor num futuro,
eu vejo isso por cima de um muro de hipocrisia, que insiste em nos rodiar.
Eu vejo a vida mais clara e farta,
repleta de toda satisfação que se tem direito do firmamento ao chão.
Eu quero crer no amor, numa boa.
Que isso valha pra qualquer pessoa que realizar a força que tem uma paixão.
Hoje o tempo voa, amor.
Escorre pelas mãos mesmo sem se sentir. E não há tempo que volte, amor!
Vamos viver tudo o que há pra viver,
Vamos nos permitir."

"Vamos nos permitir".
E eu não quero ter de esperar nada pra me permitir a tal Felicidade.
Em letra maiúscula, pois pra mim é nome próprio, tem vida própria, personalidade.
Quando se é feliz, a pessoa é tomada por felicidade, mas a felicidade nunca é tomada por uma pessoa...Posto que somos ainda muito pequeninos e incoerentes para ver coerência e dominarmos por inteiro a capacidade de "ser feliz" plenamente.

As coisas têm melhorado significativamente nos ultimos dias. Dúvidas todo mundo tem. Certezas todo mundo tem.
Hoje eu tenho um pouquinho de muita felicidade.
Tenho meu trabalho, meu aprendizado. Tenho pessoas e mundos lá pra "desbravar".
Tenho meus amigos, meu porto seguro. Ultimamente nem tão perto quanto eu gostaria, mas eu realmente sinto muita falta de pessoas que simplesmente "Sumiram" ou "deixei sumir". Peço paciência. Estou voltando à mim. Quanto aos que vêm chegando agora, é... vocês estão ferrados. (risos, muitos risos)
Tenho minha família, minha base. Sarcasmo, gritos e perdigotos ao vento em discussões nunca me pareceram tão amáveis. Obrigada!
Eu poderia ser um pouco egoísta e dizer que sinto falta da "minha" felicidade. Mas a felicidade coletiva tem me feito muito bem agora. Importar-se e ser "importado" nunca foi tão gostoso.
Apenas agradeço por lembrarem de mim, eu juro, nunca esqueço de nenhum de vocês.

1 comentários:

Rogerio Martins disse...

Toquei essa musica na minha formatura *-*