sábado, 31 de julho de 2010

Whatever

Não sei como é, o que é ou como foi direito.
Muita coisa ao mesmo tempo, pouca coisa ao mesmo tempo.

Foi bom poder resolver e desabar toda aquela pendência.
Foi bom deixar bem claro a importância, tudo aquilo que foi, que é e que poderia "vir a ser, se é que já foi". Pelo menos, hoje não dói mais.
Todo aquele infinito foi sendo canalizado. E não deixou de ser infinito,Só que Hoje ele cabe em um rascunho, num símbolo matemático.
Hoje, o infinito da minha vida cabe nisso.

Não viva para e por algo.
Simplesmente viva, e deixe que ela própria se encarregará de te levar para quem ou para onde você deverá ir.
Ou deverá passar...

0 comentários: