terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Loucuras

"Quando tudo acabar, o louco sou eu."


De maneira estranha, me sinto precisando de ajuda.
De conselhos, de talvez ouvir o que eu queira ouvir.
Eu gostaria de um remédio, que possa tirar de mim, todas as minhas insanidades.
me sinto louca, insana, com medos e anseios exagerados. Desnecessários.
E no fim das contas, não é o mundo ao redor que me provoca isso. Sou só eu mesma.
Meus vícios antigos, datados de uma era que eu desconheço. Mas no fundo me lembro.
É preciso correção.
Vou lutar, vou aprender.
Contra a angústia irreal, contra a autodestrução impossível, contra o desamor próprio.

Foi agora que eu aprendi o "Ame-te a ti mesmo", não será agora que vou "desaprender".

Boa noite :)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Um ano Depois...

Um ano passa muito rápido, mas é muito tempo.

Tempo rápido e rasteiro, digno de muitas mudanças.
Digno de descobertas.
Hoje eu me pergunto quais eram as minhas metas a um ano atrás...E se elas foram alcançadas.
Não alcancei nenhuma delas não, Hoje graças à Deus.
Talvez só a meta de continuar viva...
É que a pessoa pela qual eu vivo mudou.
Se antes eu vivia por alguém, hoje eu só vivo pra mim. E vejo como eu estaria perdida se tivesse insistido na loucura que é não me amar.
O mundo deu voltas e eu aprendi que ele nunca vai parar.
E é melhor que continue assim.
Melhor não criar metas levianas dessa vez... Prefiro não me surpreender ano que vem, muito menos "errar antes de acertar".

Enquanto você continua aí, Platônicos , sonhando.
Eu vivo.
Sonhando.

domingo, 2 de janeiro de 2011

A poesia e Eu

É tudo uma questão de tempo até que determinemos quem é realmente indispensável na nossa vida.

Uma questão de tempo, uma questão de momento.

A confiança pode ser definida como ato ou efeito de confiar.
Eu prefiro definí-la como ato ou efeito de ser cúmplice, de sentir firmeza nas palavras e carinho nos olhos. De não ter medo de opinar, de falar e declarar o que sente em momento qualquer que seja...Afinal de contas, haverá compreensão e em muitos casos, reciprocidade.
Confiar em alguém, atualmente, tem sido cada vez mais difícil. Porém não desisto desta virtude que persisto em perseguir, em testar.
Somos dignos de confiar, embora ninguém nunca possa nos garantir que alguém de fato seja digno de confiança. O que importa é dar início a algo, fazendo a parte que cabe apenas a cada um de nós.
A sorte está lançada!
Digo mais do que sorte, afinal, além de confiar...Hoje posso dizer que o amo.
Trago ao meu lado, junto à mim, e não "comigo" pois seria demasiado possessivo, alguém pra confiar, pra declarar e aconchegar. Digo até pra sonhar, porque não só de cimento e cal vive o homem. Vive também de nuvens e céu.
Pois eu confio, e amo.
Ora amo e confio.