sexta-feira, 25 de março de 2011

A river of tears

A irritação é amiga da falta de compreensão, irmã do oposto ao bom senso.

Eu odeio ser contrariada.
Eu odeio não ter controle das situações.
Eu, eu e Eu.
Egocêntrica, amante, errônea sempre.
Eu tentei, tentei tanto.
Eu solucei, chorei de espernear e não funcionou.
Eu pedi, implorei, ameacei e não adiantou.
Eu me rendi, tentei me refazer... mas eu sempre volto no início daquilo que parece nunca recomeçar.
Eu amei, amei e amei tanto, Que caí feito uma jaca podre no chão, acreditando que estava madura.
Eu continuo amando, amando e amando tanto, que dentro de um dia eu sou capaz de esquecer tudo, para recomeçar aquilo que mal começou, e que parece que nunca vai recomeçar.

Eu nunca vou poder consolar ninguém, se eu mal consigo me consolar.

"Now when it rains,
It pours.
I'm all alone, but I'll always be yours."

0 comentários: