quarta-feira, 13 de abril de 2011

Num dia desses qualquer

...Quando a chuva bater na janela.(...)

Sem rasuras, sem frescuras, sem medo de errar."

Hoje eu acredito que a nossa vida seja uma grande espiral.
Não corre em círculos voltando ao mesmo lugar. Mas às vezes dá a impressão de sempre voltarmos ao ponto de partida, e na verdade temos aí a projeção do início, onde as coisas voltarão a ficar difíceis, talvez piores do que numa situação anterior, Mas não se iluda! É tudo aprendizado, e estamos falando de uma espiral. É circular mas não é círculo.
Nunca gostei muito dos dias chuvosos. Especialmente quando preciso sair de casa.
E quando tenho que ficar, normalmente sozinha, é chato...sombrio e nunca encontro coisas pra se fazer (Não que não haja, só que nada me agrada mesmo).
Ultimamente tenho visto o tédio me vigiando por toda parte. O desânimo dando suaves batidas nas minhas costas. O cansaço me abatendo as 10 horas da manhã.
Nem mesmo trabalhando eu me sentia consumida por algo invisível dessa forma.
É como se :"Quando menos coisas a fazer, maior a vontade de fazer nada".
E assim vou levando meus dias. Regados à remorso, cansaço infundado e preguiça de mudar.

Poxa vida, preciso me mexer.

3 comentários:

rocko disse...

Muito bom esse compositor ae. ;D

Mari disse...

Modéstia é pouco né?!
Haha. Obrigada por compartilhar comigo ;D

Stramundo disse...

Não autorizei a biografia da minha vida auqi nesse lbog
xD

Caso não tenha entendido significa que me identifiquei completamente com o texto