domingo, 18 de setembro de 2011

You can tell by the lines of your face


Eu acho muito interessante como nós, seres humanos adoramos julgar que somos conhecedores e detentores de toda a razão que possa existir. Sabemos o que precisamos, a hora certa para as coisas acontecerem...E óbviamente nos frustramos quando as coisas saem fora do planejado.
Acredito que esse incômodo esteja ligado com o fato absorto de que nós realmente não sabemos de coisa alguma, nem mesmo daquilo que julgamos necessário...Pois diversas vezes possuímos aquilo que é necessário, que é confundido com aquilo que é querido.

Querer e precisar são coisas completamente diferentes.
Um é luxo, o outro é intrínseco.

Digo isso, pois passei (e talvez continue passando) tempo demais perdida entre o que julgo ser necessário, e aquilo que realmente me é preciso. E só paro pra pensar na diferença entre ambos, quando encontro alguém mais perdido do que eu em meio a tudo isso...
É tão triste e desnecessário desperdiçarmos lágrimas e pragas em cima de coisas que se mostram perdidas.
É tão mais vantajoso colocar um sorriso no rosto, por mais falso que esse pareça nos primeiros minutos, e levantar...Levar na esportiva, acreditar que o melhor há de vir...Pura e simplesmente pela lei da atração, pois somos ímãs de carne, osso e energia, capazes de atrair para nós mesmos aquilo que desejamos...Desde que saibamos como fazê-lo.



Pense nos sentimentos (e não objetos e pessoas) que você quer....E não naquilo que você quer distância.


Boa sorte para nós. :)

3 comentários:

Stramundo disse...

ótimo texto. curti muito, posso pegar emprestado para o meu blog, com as devidas referências é claro ?

Mari disse...

Cláro que pode! :)
Obrigada!

Stramundo disse...

Ta ai http://stramundo.blogspot.com/

Obrigado ^^