domingo, 1 de janeiro de 2012

Mundo velho, ano novo

...Sempre nessa ordem.
Voltamos para aquela etapa onde criamos novas metas, traçamos novos rumos para seguir e ao fim deles nos julgarmos mais realizados.
Engraçado de o objetivo do "ano novo" seria a renovação. A transformação desse mundo desgastado, num lugar melhor para se viver. Mas o fato é que o "ano novo" vem cheio de promessas de emagrecimento, de novos empregos, de ganhos na loteria, de namorado novos e assim por diante.
Tudo tão material e superficial, que fica até difícil acreditar na reforma íntima que o evento de "Confraternização Universal" propõe.
Difícil não. Diga-se de passagem, impossível.
Pessoas bêbadas no primeiro dia do ano, transparecendo o desequilíbrio que deveria ter deixado de existir com o ano que se encerrou. Acidentes acontecendo, pessoas sendo vitimadas e tendo por único objetivo de 2012, continuarem respirando.
Pessoas que pedem paz e felicidade, e vão confraternizar com suas famílias, passando batido diante de famílias famintas embaixo das pontes, ou embrenhadas em matagais, que mal sabem o que é paz, felicidade, ou até mesmo confraternização. Talvez não saibam nem desejar um mundo melhor, por terem caído na descrença.

Somos seres tão paradoxais e deprimentes que acreditamos na mudança da qual não fazemos parte.
Esperamos dos outros, aquilo que não somos capazes de dar.

1 comentários:

Stramundo disse...

poxa, me senti até culpado agorap or não desejar um mundo melhor em 2012 e sim conquistar materiais...
Mas não podemos esquecer de que ano novo é só um dia como qualquer outro, não dap / mudar tudo em um dia...