domingo, 18 de março de 2012

(Des)Valorização

Nunca, em toda a minha (pouca) vida pude observar tanto, onde quer que eu vá ou pare para olhar, a valorização errônea e consequente vulgarização da mulher. Estamos banalizadas, independente da índole. Às vezes parece até que aquele 'diferencial' intelectual não é mais buscado, nem existe mais.
Estamos na "Era das Bundas Duras", e quanto mais calada a mulher estiver e mais externamente "contemplável" ela estiver...melhor.
É o clássico...Desculpem minhas palavras agressivas e o excesso de sinceridade..."Cale a boca e continue chupando (ou, rebolando porque é bonito de se ver em qualquer horário na TV aberta).
Nem nós mesmas estamos nos dando ao respeito. Somos até capazes de pegar em microfones, com roupas (diga-se de passagem trapos) minúsculas e gritando baixarias ensurdecedoras. Estamos vendendo nossa liberdade com atos e palavras. Não nos igualamos aos homens, nos igualamos a algo que ainda não tem nome.
Muitas foram as que utilizaram nosso sexo em vão, e nos fizeram perder o valor perante o mundo.
Os valores foram invertidos, e a mulher ideal não é mais aquela mãe zelosa, mulher trabalhadora firme, inteligente e independente, com um brilho no olhar que a torna linda. A mulher idealizada de hoje é aquela que sorri muito, fala pouco, e se expõe demais.

Estou lutando com as palavras a fim de utilizar termos não tão inadequados, ou ofender pessoalmente alguém. Mas a minha revolta tem sido tão grande ultimamente, que quem está se sentindo pessoalmente ofendida com tanta falta de postura. E ser feminista num mundo como o de hoje, onde as mulheres acreditam estar exercendo sua "liberdade", é cavar um buraco onde você será enterrada pelas atitudes das mesmas mulheres que você defendeu com ideologias deste tipo.

"Mundo velho mudou tanto, já não endireita mais(...)"

3 comentários:

Lika disse...

nós nos desvalorizamos, mas os homens só valorizam mulheres assim... Recebemos informção demais, e não sabemos filtra-la só sobra o que é fácil de fazer, ou seja tirar a saia, se a smulheres antigamente queimarão sutiãs por liberdade, hoje tiramos a calcinha (e algumas até perdem diga-se de passagem UAHuAHuAHu Não aguentei) nos aprisionando na vulgaridade! mas foda-se td essa mulherada, e vamso vivendo nossa vida! rsrs

Anônimo disse...

Em defesa do homem, os mesmos raros que ainda procura a mulher no molde da beleza, são excluidos das rodas de amigos e da sociedade. E se abrem seus sentimentos ou choram em filmes românticos, são ditos com viados... E quando se deparam com as raras mulheres com conteúdo, as mesmas não acreditam....

Thábata Sanches disse...

Cada pessoa tem seus ideais, se é um homem é excluído da "roda de amigos" porque os ideais dele são diferentes, então ele não tem amigos verdadeiros.
Quanto ao ponto principal, algumas mulheres estão se vulgarizando desnecessariamente e fazendo com que todas nós sejamos vistas da mesma forma, o que é totalmente injusto.
As mulheres de verdade são aquelas que lutaram pelos seus direitos sem apelação para seus corpos ou baixarias, estas mulheres devem estar indignadas onde quer que estejam. Afinal, liberdade é completamente diferente de vulgaridade.