quinta-feira, 10 de maio de 2012

Por que quando gostamos, quando insistimos em gostar nos sentimos tão inseguros?
Por que não enfiamos de uma vez por todas em nossas cabeças que, quando alguém está ao seu lado, é exatamente porque o diferencial te acompanha e uma porção de motivos os colocaram alí um de fronte para o outro? Não é da noite para o dia que isso estraga, não é qualquer um que consegue atrapalhar aquela vibração uniformemente variada de cores, sabores e sons que aquele sentimento pra dois traz.
Mas como a cabecinha de nós mulheres, é maquininha para idéias inconclusivas trabalharem, Essa minha mania de ser intensa e impulsiva ainda vai acabar comigo. Ou com o Mundo.
Certo é o sentimento de insegurança, ciúme, carinho.
Incerto, e talvez até errado seja eu exteriorizar isso (Ou a forma sempre muito doida da qual me uso para exteriorizar).
Eu queria poder deixar tudo correr tranquilamente como um riacho, mas a minha natureza impulsiva me transforma numa queda D'água.

1 comentários:

Thábata Sanches disse...

E pq não ser queda d'agua? Nossa natureza é só nossa e não devemos mudá-la por ninguém, nem para ninguém. E vibrações se esvaem, então um dia vc vai olhar para aquela pessoa e pensar: " Por que eu realmente usei tanto sentimento com ele?". Não é arrependimento, é só o olhar da razão, sem véu de sentimento.