domingo, 3 de junho de 2012

No fundo, cada um sabe bem o que quer da vida.
Na prática, nunca sabemos bem o que fazer para tornar isso real. O fato é que tudo depende do momento atual, do sentimentos, das oportunidades. Da ausência do medo, da presença da vontade de se jogar.
Eu quero parar de ter a sensação de que só tenho me jogado em abismos, ou em algo concreto demais que me machuque. Quero me jogar em algo mais certo, um pouco mais macio que me permita apenas ralar os joelhos.
Eu gosto e tenho a eterna mania de achar que o meu atual momento é um momento eterno e só meu. Acredito que a hora certa é agora, porque quem é dona disso sou eu, somos nós. Me cansei tanto de ver pessoas infelizes, de ser pessoa certa na hora errada, que não acredito mais em nada disso.
Se "Quem quer encontra um meio e quem não quer, uma desculpa", finalmente pra mim as coisas se resumem a isso. Não saber se quer ou não é um bocado imaturo, ou demasiado medroso. Mas será que vai caber a mim adivinhar tudo isso?

1 comentários:

Thábata Sanches disse...

"ser a pessoa certa na hora errada", disse tudo.