domingo, 24 de fevereiro de 2013

Andava me questionando acerca do que me motiva a escrever.
Me perguntando por que, de forma tão abrupta parei com isso.
Será que parei de sentir?
Sempre liguei uma cousa a outra...Então suponho que sim! Parei de escrever pois neste breve período de tempo parei de chorar, parei de sentir com o coração. Estive sentindo muito com a razão e hoje percebo o quanto raciocinar sem sentir é pisar em terreno infrutífero. Não encontrei o meio termo, não temperei com sal e açúcar o soro que atenderia as necessidades deste corpo que muito amou, Que sempre ama! Mas que hoje ama muito a si mesma para falar dos outros. Outro erro! Talvez mais um engano!
Eis que retorno, na tentativa de amar o mundo imperfeito que me é proposto. Na tentativa de costurar os erros rasgados, na tentativa de amar de todo o coração, com ação.
O meu progresso? Veremos dia após dias nestas linhas que serão esculpidas com dedos reais, falhos, porém ávidos pelo progresso.

1 comentários:

Anônimo disse...

Pensei em muita coisa que eu poderia escrever aqui sobre esse duelo, quase um impasse mexicano, entre o lado racional e o lado emotivo/sentimental. Porém percebi que qualquer coisa que fosse dita seria através de um discurso racional e isso favoreceria um dos lados. Então, tudo o que irei dizer é que continue escrevendo, pois eu gosto de te ler, e faça mais músicas, pois gosto de te ouvir. (=
Beijos,
Rogério.