quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Sobre minhas mágoas, e meu peito

Às vezes eu não tenho vontade de desistir. A minha vontade é mesmo de sumir.
Sumir para algum lugar onde eu possa ser verdade. Sumir para algum lugar onde eu possa gritar a plenos pulmões tudo aquilo que sinto. Que sinto de bom. Afinal, neste lugar onde eu pertenço, só sou o bem.... Não sinto nada que não seja digno de um Espírito que busca a iluminação, a ascensão, um lugar ao sol.
Um lugar onde não precisamos mentir, enganar, onde não somos humanos, mas sim...Seres.
Seres constituidos de saberes, de sentimentos, de razão. Não de instinto, desconfiança e mágoas.
Somos feitos de realidade semi-material. Somos plasmados de acordo com o nosso melhor. Somos meus sonhos...Minha realidade particular. Aquilo que rezo para alcançar quando a carne acabar, quando só sobrar alma. Quando me restar aquilo que me deu início. Que deu início à todos nós e será nosso fim. Que nem todos acreditamos, mas a vida...Ou melhor, a morte, nos ensinará a acreditar.

Morrer não é tão ruim quanto parece. Pode ser melhor, pode ser pior.
Pode ser uma saída ou apenas uma entrada.... Tudo depende de quem somos, de quem nos tornamos.

0 comentários: