terça-feira, 15 de julho de 2014

Ah se você soubesse, tivesse noção da dimensão dos meus sentimentos.
Sentimentos não convencionais. Anormais.
Ainda não-transcedentais. Senão meu hoje seria diferente.
Se eu tivesse, se tivéssemos transcendido...Não teríamos nos despedido. Viveríamos pela eternidade, aquela em que acreditamos porém não sabemos ainda como sobreviver à ação do tempo, da carne, do efêmero.
Estive tão certa e errada ao mesmo tempo. Não pelas decisões que tomei, mas pelas concepções que tenho tido acerca do mundo, de mim e do meu peito. Ainda não consigo diferenciar o que é personalidade e o que é o meu eu em essência. Às vezes acho até que a personificação pegou todo o espaço da "essenciação"...E tenho desperdiçado tempo.
Mas se é aprendizado, talvez não seja desperdício.
E mais uma vez a resposta é o tempo. Em detrimento da paciência. Em detrimento da perfeição.

0 comentários: